Compartilhe

5 motivos para investir em um Doutorado em Direito

6 minutos
Compartilhe

O Doutorado é recomendado para quem busca aprofundar o conhecimento em determinada área e deseja atuar, futuramente, na pesquisa. O Doutorado em Direito, especificamente, é voltado ao estudo dos princípios constitucionais e suas repercussões nos demais ramos do Direito.

Apesar de surgir como indicação para quem quer ser professor ou seguir carreira em pesquisa, o Doutorado em Direito pode ser um divisor de águas na carreira jurídica. Tudo dependerá do momento em que o interessado ou interessada em ingressar nesta etapa se encontra atualmente, tanto no âmbito profissional quanto acadêmico.

Se você está considerando cursar um Doutorado em Direito, continue a leitura, pois apresentaremos cinco motivos para investir nesta certificação.

Mas, antes de tudo, vamos explicar melhor o que é o curso, quais os requisitos para fazer um Doutorado e como é a pesquisa científica jurídica no Brasil.

Sobre o Doutorado

O Doutorado, assim como o Mestrado Acadêmico ou Profissional, é uma pós-graduação stricto sensu — estas acontecem em período de formação posterior à graduação.

Os programas de Mestrado e Doutorado têm natureza acadêmica e de pesquisa, com o objetivo de aprofundar a formação científica. A pós-graduação stricto sensu concede diplomas e graus acadêmicos pelos títulos de mestre ou doutor.

O Doutorado tem duração mínima de dois anos. É necessário apresentar a tese ou trabalho final definido em regulamento institucional e, para isso, o candidato deverá estudar certo número de matérias relativas à sua área de concentração.

É preciso ainda, durante o programa, submeter-se a exames parciais e gerais. Ao final do curso, após aprovação em todas as etapas, o aluno obterá diploma.

Requisitos para entrar no Doutorado

De acordo com o Ministério da Educação (MEC), os cursos de stricto sensu são abertos a candidatos diplomados em cursos superiores de graduação e que atendam às exigências das instituições de ensino e ao edital de seleção dos alunos (art. 44, III, Lei nº 9.394/1996.).

Diante disso, surge a dúvida entre os interessados em fazer Doutorado: “Preciso ter feito o Mestrado antes?”. A resposta é: depende.

Cada instituição tem requisitos específicos para os ingressantes no Doutorado. Basicamente, conforme o MEC, a exigência mínima comum a todas as instituições de ensino é o diploma de ensino superior.

Algumas instituições chegam a pedir que o candidato seja fluente em pelo menos dois idiomas, por exemplo. Os critérios podem mudar de acordo com cada edital.

Apesar de não ser exigência ter cursado o Mestrado antes de ingressar no Doutorado, entretanto, este caminho costuma ser o mais recorrente entre os que estão construindo uma carreira acadêmica.

Sobre o processo seletivo

Geralmente, antes de entrar de fato no Doutorado é preciso ainda passar por um processo seletivo. Primeiramente, o interessado (a) deverá se adequar ao edital da instituição almejada.

Em seguida, deverá passar por entrevistas pessoais, além de ter habilidades em pesquisa, principalmente na área pesquisada. Neste ponto, ter passado por um Mestrado, tanto Acadêmico quanto Profissional, anteriormente pode facilitar a validação à proximidade da pesquisa.

Por fim, mas não menos importante, o aluno precisa ter uma tese original já no início do desenvolvimento com o apoio de um orientador.

Desafios do Doutorado em Direito

Ao ingressar em um Doutorado, o aluno precisa estar ciente dos desafios que encontrará durante a caminhada. Afinal, este é um dos maiores passos da vida acadêmica (se não o maior!).

Entre os desafios de um Doutorado em Direito está, sem dúvida, a produção de uma tese. Esta tese deve ser original, ou seja, totalmente inédita. Para isso será necessária muita leitura e dedicação durante toda a trajetória do programa.

O aluno precisará ainda participar de congressos, eventos e grupos de pesquisa para enriquecer o seu pensamento crítico, a fim de fortalecer sua pesquisa.

Portanto, será preciso reservar uma boa parte do tempo para dedicar-se às atividades ligadas ao Doutorado durante o curso.

Doutorado em Direito nos objetivos profissionais

Sem dúvida, uma qualificação mais aprofundada em determinada área não contribuirá apenas para o lado acadêmico, principalmente no Direito.

A visão adquirida por meio de um Doutorado inclui uma maior compreensão da realidade e, com isso, a possibilidade de atuar na carreira profissional de forma transformadora. Ainda mais em um nicho onde as exigências do mercado estão cada vez maiores.

Deste modo, o conhecimento oferecido por um Doutorado em Direito, por exemplo, pode refletir de forma ímpar na atuação jurídica.

Os egressos poderão colocar em prática em escritórios, sala de aula ou órgãos públicos, por exemplo, toda a competência técnica adquirida durante a formação como doutor ou doutora.

5 vantagens do Doutorado em Direito

Cursar um Doutorado, sem dúvida, pode mudar a vida de um profissional. A seguir, elencamos cinco motivos para você que está pensando em investir nesta etapa de sua carreira profissional e acadêmica.

Confira!

Autoridade profissional

O título de Doutor garantirá maior autoridade profissional — principalmente na área de pesquisa escolhida. A credibilidade alcançada após a conclusão do curso é indiscutível e pode abrir portas no mercado de trabalho e na área acadêmica.

Isso porque o curso de Doutorado oferece um aprofundamento teórico muito maior que as outras especializações. Por isso, é comum que um Doutor ou Doutora se torne autoridade em determinado assunto ao alcançar esta titulação.

Networking

Durante o Doutorado é possível garantir um excelente networking, seja nos grupos de pesquisa, na sala de aula ou até mesmo nos eventos durante o programa.

No Doutorado em Direito, especificamente, é comum ver juízes, profissionais liberais, professores, autônomos e outras categorias profissionais em busca de um ponto comum e dispostos a trocarem experiências e conhecimentos.

Oportunidades de carreira

Após concluir o Doutorado em Direito, são muitas as oportunidades disponíveis como carreira para os egressos. Entre as principais estão a docência ou a pesquisa, mas além disso, há a possibilidade de seguir como palestrante ou atuar no setor privado, por exemplo.

Maior remuneração

Fazer um Doutorado pode aumentar em até seis vezes a remuneração de um profissional, conforme dados de uma pesquisa elaborada pelo Centro de Gestão e Estudos Estratégicos em conjunto com o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações e Comunicações. Para muitos, esse é um ótimo motivo para se dedicar aos estudos para se tornar Doutor.

Internacionalização

Algumas universidades oferecem incentivos para que seus doutorandos aprofundem sua tese em instituições no exterior.

O IDP, por exemplo, estabelece convênios com universidades e institutos estrangeiros de renome para dar ao aluno a oportunidade de vivenciar períodos de estudos e pesquisas internacionais.

Os convênios internacionais firmados pelo IDP possibilitam o ingresso em mais de 15 instituições de ensino em cerca de 6 países diferentes.

Conclusão

Ingressar em um Doutorado em Direito pode trazer inúmeras realizações em diferentes âmbitos: pessoal, acadêmica e/ou profissional. Afinal, o egresso se torna um especialista em um campo do saber.

As possibilidades para quem tem Doutorado em Direito vão muito além da carreira acadêmica. O título pode ser um divisor de águas em outras carreiras, visto que a titulação confere o ar de autoridade e muito prestígio em um mercado cada vez mais competitivo.

Além disso, a caminhada rumo ao título faz com que o aluno adquira habilidades valiosas, principalmente de pesquisa e, deste modo, possa contribuir com diferentes áreas do saber e atuar no mercado de trabalho no Direito.

No IDP, por exemplo, o programa do Doutorado em Direito contempla pesquisas sobre direitos fundamentais, processo e jurisdição constitucional e propõe novas interpretações sobre diversas áreas do Direito à luz dos princípios constitucionais.

A instituição é reconhecida nacionalmente pela qualidade do ensino jurídico oferecido há mais de 23 anos. O corpo docente é referência e conta com os principais nomes do Direito no Brasil, entre eles ministros do STF e doutores.

Acesse o site do IDP e saiba mais sobre os cursos de Doutorado, Mestrado Acadêmico e Mestrado Profissional.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.