Compartilhe

Mercado do Direito: a área está realmente saturada?

Equipe IDP Por: Equipe IDP 8 minutos
Compartilhe

Você já deve ter ouvido que o Mercado do Direito está saturado e por isso está cada vez mais difícil seguir a carreira. Mas até que ponto isso é verdade? 

O mercado do Direito é um dos mais tradicionais do Brasil, o que faz a competitividade na área ser bastante alta. Segundo o Conselho Federal da OAB, no país existem mais de 1 milhão de advogados registrados. Esse dado pode assustar, afinal, é um grande número de profissionais para o mercado. 

Sendo conhecido por oferecer boas oportunidades, o mercado do Direito também é exigente quando se trata de profissionais qualificados. Seja para passar em um concurso público ou atuar no setor privado, é preciso desenvolver uma base sólida e se manter sempre atualizado. Pois, a todo momento surgem novas leis e decisões. 

Mas será que ainda é possível se destacar ou a área está realmente saturada? É o que vamos responder ao longo do texto, por isso, continue lendo para saber mais.

1. Como é o mercado de trabalho no Direito?

O mercado de Direito é amplo e continua crescendo com várias possibilidades dentro da carreira. Mas, ao mesmo tempo, a quantidade de profissionais na ativa também aumentou. Desta forma, desequilibrando a balança da oferta e procura. Afinal, qual estudante de Direito nunca ouviu que o mercado está saturado? 

Ainda bem que o campo jurídico é bastante amplo, o que diminui um pouco a concorrência por uma vaga de emprego. Por mais que existam muitos profissionais formados em Direito, a abrangência garante um número suficiente de oportunidades de emprego. Basta correr atrás!  

Além do segmento jurídico ter boa oferta de vagas, ele também oferece boa remuneração. Segundo o Guia Salarial da Robert Half de 2020, muitas áreas pagam acima de R$7.000. Podendo chegar até a R$30.000 nas carreiras jurídicas e magistraturas.

2. Como é a carreira no mercado do Direito?

O mercado do trabalho em Direito se divide em três principais carreiras, sendo elas: advocacia, setor público e acadêmica. O Direito ainda permite que o profissional trabalhe totalmente de forma autônoma, se quiser. Conheça melhor as possibilidades:

Advocacia

A advocacia é o segmento que atende ao maior número de graduados, sendo uma carreira que está sempre em alta. O profissional que segue essa área, atua na representação jurídica das pessoas, defendendo seus interesses dentro e fora de processos judiciais.

Na Advocacia há duas grandes modalidades: preventiva e contenciosa. A diferença está na existência ou não de um conflito Se houver conflito, a tendência é o início de um processo judicial, logo, a atuação contenciosa.

Alguns profissionais usam o conhecimento jurídico para iniciar empreendimentos também em outras áreas. Sendo possível trabalhar em empresas de segmentos diversos, como cartórios e bancos, por exemplo.

Setor Público

Já para quem opta pelo setor público, o concurso público é a principal via de acesso às vagas. Sendo aplicadas provas de conhecimento e, em alguns casos, de títulos para ranquear os candidatos e selecionar os mais bem colocados. É o desejo de muitos graduados em Direito, por causa da estabilidade e boa remuneração.

Quem foca na carreira pública encontra duas opções. Sendo a primeira os cargos reservados aos bacharéis em Direito, como: Juiz, Promotor e Defensor Público. Já a segunda abrange os de nível superior na administração pública, como auditores e analistas.

Acadêmica

A carreira acadêmica é para aqueles que preferem se manter mais no âmbito teórico do que partir para a prática como nas carreiras citadas acima. Nesse sentido, é preciso focar em se especializar em determinada área e dedicar sua carreira à pesquisa e ao ensino.

Para se destacar na carreira acadêmica, é preciso investir na formação: começando por uma pós-graduação, seguindo para o mestrado, doutorado e por aí vai. O acadêmico não pode parar de estudar em momento algum, se atualizando sempre. 

Existem várias possibilidades dentro dessa carreira: ensinar em uma universidade, fazer pesquisas, escrever livros, cursos preparatórios, entre outras. Também é muito comum ver professores criando seus próprios blogs para transmitir conteúdo relevante.

3. Principais áreas do Direito 

O mercado do Direito está cada vez mais sedento por profissionais qualificados e de alto nível. Não sobra muito espaço para advogados generalistas, o que levanta a importância de se especializar e focar em um ramo jurídico específico. 

Algumas áreas exigem mais especialização e procurar conhecê-las desde o início pode ajudar na escolha. A seguir, vamos abordar alguns dos mais tradicionais ramos do Direito da atualidade e como podem proporcionar ótimas oportunidades. Confira!

Direito Tributário

Uma das áreas mais bem-pagas do Direito, mas é para quem realmente gosta. Então, se você faz parte do grupo que gosta e pensa em algum dia atuar em litígios que envolvem tributos e taxas ou prestar consultoria fiscal para seus clientes, o Direito Tributário é pra você. 

O salário de um advogado júnior no setor tributário varia entre R$3,5 mil e R$8 mil, dependendo do tamanho da empresa e da área (contenciosa ou consultiva). O crescimento na carreira multiplica esse valor, podendo chegar a R$20 mil em grandes empresas.

Direito Eleitoral 

Embora as eleições ocorram a cada dois anos, existem etapas anteriores, que podem gerar várias oportunidades para especialistas em Direito Eleitoral. Como, candidaturas não aceitas, divergências entre candidatos e partidos, prestação de contas, etc.

O piso salarial médio do segmento é R$5.750,49. No entanto, os salários podem chegar a R$14.421,52. Além disso, na tabela da OAB/SP, o valor mínimo para as medidas judiciais da área varia de R$6.221,09 a R$17.419,07.

Direito Civil 

O Direito Civil é uma das mais amplas do Direito. Por isso, os advogados podem se especializar em dezenas de assuntos diferentes, indo de Direito Imobiliário a Direito de Família. É também a área com a maior quantidade de advogados autônomos atuantes.

Por ser uma carreira com tantas ramificações, os salários também são muito variáveis. Em geral, o advogado cível recebe entre R$3 mil e R$17 mil, dependendo da área em que decide atuar e também a forma de trabalho (autônomo ou não).

Direito Penal

Apesar de o Direito Penal ser uma das matérias mais queridas da faculdade, são poucos os estudantes que decidem seguir a carreira de advogado criminalista. O profissional pode atuar para as partes acusadas ou no setor público. 

Os grandes advogados criminalistas — que normalmente trabalham com crimes de colarinho branco — podem receber valores altíssimos de seus clientes. Porém, em geral, o salário médio nessa área varia entre R$2,5 mil e R$10 mil.

Direito Trabalhista 

Não é nenhuma novidade que a área de Direito Trabalhista oferece uma grande oferta de oportunidades ao profissional advogado. O advogado especializado em Direito Trabalhista tem papel fundamental na conciliação entre empresas e empregados. 

Segundo o Tribunal Superior do Trabalho (TST), em 2017 havia 2,5 milhões de ações trabalhistas em trâmite no Brasil. O dado impactante mostra a importância da área, já que o advogado é imprescindível nessas demandas.

Os ganhos, no entanto, podem variar, mas, ainda assim, se mostram bastante interessantes. Em média, eles variam entre R$4.055,00 e R$14.004,34.

Direito Digital 

Por fim, uma das áreas mais novas e promissoras do Direito. O Direito Digital tem como objetivo normatizar e regulamentar o uso dos ambientes digitais, especialmente as relações comerciais e os contratos entre consumidores e empresas. 

Além disso, com as mudanças recentes na legislação, as empresas têm de se adaptar à LGPD, que trouxe novas diretrizes sobre responsabilização em caso de violação de dados. A média salarial do advogado é de R$6.507,54, podendo chegar a R$15.963,50.

4. Como se destacar no mercado do Direito?

O mercado de trabalho do Direito contém um grande número de profissionais, por isso, para se destacar na carreira é necessário traçar planos e fazer o possível para cumpri-los. A palavra de ordem é: planejamento. 

O Direito é uma área que exige bons resultados. Logo, para se destacar, é preciso ter um pouco de iniciativa. Não espere ordens ou pedidos para cumprir uma tarefa. Seja proativo: arrisque-se mais e mostre que você tem domínio sobre sua profissão.

Um bom profissional de Direito também deve adquirir o hábito da leitura e estar sempre antenado às novidades. Não apenas do mundo jurídico, mas da sociedade como um todo. Mantenha-se sempre atualizado e não pare de estudar jamais!

Outro ponto super importante: não se esqueça do networking! Sempre que possível, participe de cursos, palestras e seminários. Eles permitem que você conheça outros advogados e entre em contato com grandes figuras jurídicas. Um bom networking pode proporcionar oportunidades e parcerias únicas.

5. Como uma especialização pode ajudar?

Como já falamos, o aprimoramento pessoal é essencial no universo jurídico. Seja qual for a sua área de atuação para sair do lugar-comum é preciso investir nos estudos, assim seu currículo estará sempre atualizado.

Diante de um mercado mais exigente, destacam-se os profissionais mais bem capacitados e preparados. Na área jurídica, as mudanças nas relações sociais exigem do profissional constantes atualizações. 

Ainda que você não tenha tempo para ir à faculdade e fazer uma pós-graduação, hoje em dia, é possível se especializar de forma remota! Como no IDP Online, por exemplo, em que as aulas são ao vivo com professores altamente renomados. 

Geralmente, os profissionais iniciam sua carreira como generalistas, cuidando das medidas legais mais simples. Depois, identificam a área que mais se sintam atraídos e fazem uma especialização, sendo um importante passo para a construção da carreira. 

Durante a pós-graduação, toda a carga teórica é apresentada também sob uma perspectiva prática. O que permite que o profissional aplique imediatamente o que foi aprendido nas aulas. Além de contar com a experiência de professores que atuam no mercado e conciliam, diariamente, a teoria e a prática de determinada área jurídica.

Ao final do curso de pós-graduação, o profissional se torna especialista naquela área! 

O Mercado do Direito é bastante exigente, mas com dedicação e planejamento é possível se destacar. Gostou do nosso conteúdo? Compartilhe com aquele amigo ou aquela amiga que pode se interessar. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.